O que aconteceu entre 3 e 4 de novembro de 1966 foi a mais assustadora e terrível de todas as inundações de Florença e região. Em pouco tempo caiu sobre a cidade uma quantidade de água equivalente a um terço da média anual. Estima-se que a quantidade de precipitação para as 24 horas entre os dias 3 e 4 de novembro foi de aproximadamente 180/200 litros por metro quadrado e que o nível do rio Arno tenha subido 11 metros. A inundação de 4 de novembro de 1966 não afetou apenas o centro histórico da cidade mas toda a bacia do Arno. A zona rural permaneceu inundada por dias após o desastre e muitas cidades ficaram ilhadas e severamente devastadas.

Ponte Vecchio

“Aquele 4 de novembro de 1966, em Florença, o rio Arno, cheio de água escura e lamacenta, transbordou e inundou a cidade, varrendo tudo em seu caminho. Quando as águas baixaram só restou a destruição.”

“Os Anjos da lama” foi um exército formado por jovens e adultos de todas as nacionalidades que, voluntariamente, foram chegando à cidade aos milhares após o dilúvio para salvar obras de arte e livros, arrancando a lama das heranças de séculos de arte e história. Esta incrível cadeia internacional de solidariedade é uma das mais belas imagens na tragédia.

Exército de jovens ajudantes

A única ajuda financeira do governo foi uma soma de 500 mil liras doadas aos comerciantes, concedidas ao fundo perdido e financiadas com o habitual aumento no preço da gasolina (10 liras por litro, imposto que existe até hoje). A Fiat e outras montadoras ofereceram para aqueles que perderam o carro um desconto de 40% para comprar um novo e “sobrevalorizaram” em 50 mil libras os restos do carro inundado.

Carros submersos em água

É inevitável que a lembrança mais forte seja do dano ao patrimônio artístico: milhares de volumes, incluindo manuscritos preciosos e raros impressos, foram cobertos com lama dentro da Biblioteca Nacional Central. Um dos quadros mais importantes de todos os tempos, o Crucifixo de Cimabue conservado na Basílica de Santa Cruz, ficou 80% destruído, embora tenha tido um comovente restauro posterior.

Basilica di Santa Croce

Ao caminhar pela cidade de Florença é possível encontrar em vários locais placas indicando a altura até onde a água chegou no dia da grande inundação de 1966. Para mais artigos relacionados à história da Itália siga nosso blog.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu